Team Jonas Næsby ( esq.) and Gerhard Spyra (dir ) coordenadores de RF do Festival Eurovision 2018



O que é , para que serve ?
Com o crescente uso de tecnologias sem sem fio o espectro de RF disponível continua a encolher, com isso a necessidade de alguém para coordenar todos os sistemas sem fio em qualquer evento sério torna-se maior a cada dia. E por isso é cada vez mais comum encontrar um coordenador de RF em um grande evento, show ou turné.

Com isso em mente, e como um coordenador de frequência, eu vim com este texto listar as perguntas mais frequentes sobre o que eu faço.
O que faz um coordenador de frequências ?
Uma pessoa (ou equipe de pessoas em um grande evento) que é responsável por garantir que todos os sistemas sem fio em uso sejam compatíveis e que a eles foram atribuídas frequências únicas coordenadas para evitar interferência. Isso é feito com uma variedade de ferramentas, incluindo analisadores de espectro e programas de coordenação defrequência.
Coordenadores de frequência também são encarregados do trabalho de monitoramento e rastreamento de qualquer “INTRUSO”, localizando os usuários sem fio visitantes e a eles atribuir uma frequência compatível com as utilizadas no evento, ou em último caso fazer com que o visitante desligue o seu sistema caso ele seja incompatível com os sistemas já coordenados e em uso.


Basicamente a função do coordenador de RF e fazer todos os sistemas sem fio funcionarem harmoniosamente e sem falhas.
Irei participar de um evento ou festival e fui informado que nele haverá um coordenador de RF. Como devo proceder ?
Provavelmente você sera solicitado a enviar para o coordenador uma lista de todos os equipamentos RF que irá utilizar. Neste informativo você deverá incluir marca, modelo, faixa de frequência e quantidade de cada sistema em uso, bem como onde ele seré usado. Veja um exemplo seguir:
Você pode inserir essas informações no seu rider técnico essas informações são muito úteis no planejamento de um festival ou evento.

Se você quiser ser ainda mais detalhista informe também os dados do usuário do sistema ( Ex: Guitarra, Baixo, Segurança, Repórter, Iluminador, Roadie etc...), localização do sistema ( Rack de In ear, Guitarra, Baixo, FOH etc...) informar o tipo de aplicação também ajuda, ( Ex: Comunicação Interna, Rádio HT, Roteador Wifi etc... )


Modelo Rider
informativo de Sistemas de RF


MICROFONES - TRANSMISSORES
MARCA MODELO FAIXA FRQ / RANGE QUANTIDADE
Sennheiser SKM 9000 A1-A4: 470-558 MHz 01
Sennheiser SKM 9000 B1-B4: 630-718 MHz 01
Sennheiser SKM 500 Range A - 516 a 558 MHz 04
Shure ULXD1 L50 (632.170 – 695.900 MHz) 04
SPLITTER: ASA 1 (01 unidade ) com antenas A2031
Observação: Informar o range e frequência dos transmissores

IEM - TRANSMISSORES
MARCA MODELO FAIXA FRQ / RANGE QUANTIDADE
Sennheiser EW300 Range G - 566 a 608 Mhz 04
Sennheiser EW300 Range B - 626 a 668 Mhz 04
Shure PSM 1000 L8 (626.000 – 698.000 MHz) 01
COMBINER: AC3 ( 02 unidades ) com antenas A2031
Observação: Informar o range e frequência dos transmissores

OUTROS TRANSMISSORES
MARCA MODELO FAIXA FRQ / RANGE QUANTIDADE
Baofeng UV-5R ( Radio PTT) Vhf 136.00-174.00 Mhz
Uhf 400.00-480.00 Mhz
08
COBRA 18R Basic Remote (Pyro) 2.40GHz Spread Spectrum 01
Clear Com PTX3-20 ( IFB) (Block 20:
512.0 to 537.5 MHz)
01
OBS:
Técnico Responsável: Joãzonho do RF
Telefonne de Contato: (XX) 9 5555 – 9999
E-mail: joaorf@rfmail.com


Este modelo é uma cortesia da Rental Soluções Técnicas – Coordenação de RF



Observe que geralmente nao é necessário listar as frequência utilizadas , desde que a informação de MARCA / Banda / Bloco ( RANGE ) esteja correta (assim Banda G ou “J-5”.

Além disso, é importante informar QUALQUER coisa que use radio frequência , radios HT, intercons sem fio, disparadores de efeitos que usem RF
etc...

OK, entao eu dei ao coordenador todas as informações solicitadas. O que acontece agora?

O coordenador fornecerá uma lista de frequências compatíveis para usar com seus sistemas. Em eventos em que o espectro esteja muito congestionado, nesta lista também pode haver um período de tempo especificado quando os transmissores
podem ser ligados. Por exemplo, a banda iré tocar ás 5 da tarde, então você pode ser solicitado a nao ligar seus transmissores até és 16h, e também desliga-los as 18h15.

Obedeça as regras isso é MUITO Importante!

Também certifique-se os roadies / músicos desligaram seus transmissores no final do seu show. Uma tampa de case cheia de bastões e bodypacks ligados, é um grande gerador de interferências e PROBLEMAS, não será bom para a próxima banda deixá-los ligados enquanto desmonta o seu equipamento.

E se houver problemas com algumas das minhas frequências?
Informe ao coordenador o mais rápido que puder, ele DEVE ter um piano B preparado. As vezes, sua lista será fornecida com frequências de backup para serem usadas nestes casos. Se assim for, informe ao coordenador quais as frequências que deram problemas e quais as de backup você utilizou. Ao Informar o ocorrido ao coordenador ele irá analisar o que gerou o problema e se será necessário reescanear e localizar a fonte geradora da interferência e/ou recalcular a tabela de frequências em uso. Qualquer problema SEMPRE informe ao coordenador de frequências do evento.

O que você nao deve fazer é IGNORAR a coordenação para tentar encontrar suas próprias frequências. Segue um pequeno exemplo pra explicar o por que:
Uma vez, enquanto trabalhava em um premiação, eu dei a um engenheiro de monitor de uma banda sua lista de frequências. Ele olhou para ela e disse, a contragosto: “OK, vou colocá-las, para começar, mas vou fazer meu próprio SCAN porque eu já fui ferrado antes.” (E ele tinha um set-up muito bom com microfones e IEM do mesmo fabricante, e utilizava um excelente programa de coordenação).
Eu ouvi o que ele disse sem retrucar , deixei que ele tomasse a decisão sobre usar ou nao , mas no meu relatório fiz uma anotação para ficar de olho no monitoramento para ver o que ele iria fazer ( ele nao utilizou as frequências que eu passei), mas pra você entender porque é uma má ideia não usar as frequências coordenadas.
Mesmo, ele tendo um setup top de linha, o que eu tenho a meu favor é uma lista de 240 frequências que estão,ou estarão,em uso.
Em particular, isso inclui pelo menos 24 canais de bodypacks de Intercom, que são quase sem exceção utilizados no modo “push-to-talk & transmit” significando que eles estão apenas transmitindo quando alguém esta falando.
O que significa que a probabilidade de sua varredura enxergá-los é quase nuIa, no seu scan aparecerá as frequências utilizadas por esses sistemas como espaços livres que na minha coordenação estão bloqueados para uso, caso você coloque um transmissor nessas frequências ela sofrerá interferências a cada transmissão do intercom, com a ajuda da lei de Murphy isso ocorrerá exatamente com o microfone do seu ARTISTA principal.

Quais as regras de etiqueta num evento com muitos usuários de sistemas sem fio ?
Basicamente, se não está no seu horário de line check e ou apresentação não ligue nenhum dos seus transmissores.

Hoje em dia esse tipo de procedimento e relativamento fácil de se fazer já que atualmente a maioria dos sistemas tem modo “OFFLINE”, na qual se desliga o transmissor dos sistemas. Usando esse modo durante a a configuração e ajuste de seu setup de in ears ( IEM ) você pode fazer todos os ajustes de patch e níveis sem derrubar os sistemas da banda que estiver tocando, ou o apresentador do evento.


SIMPLES” Obedeça as diretrizes de RF do Evento

O mesmo vale para os sistemas VISITANTES, é normal a chegada de equipes de rádio e TV para cobrir o evento / festival, fica a dica para o técnico de áudio da equipe simplesmente não saia ligando o seu sistema sem fio, procure antes saber se existe alguma coordenação de frequência , e mesmo que não exista scaneie uma frequência livre no local antes de iniciar os trabalhos. Caso o evento tenha um coordenador de RF, procure saber dele qual frequência pode ser usada com segurança.
O evento agradece esse cuidado afinal passamos horas preparando para que tudo funcione de maneira tranquila sem falhas.

Link do texto original: CLIQUE AQUI
Autor: Ike Zimbel – trabalho com Áudio profissional há mais de 35 anos e dirige a Zimbel Audio Productions em Toronto,
Traduzido e adaptado por: Lazzaro Jesus – diretor técnico da Rentall Soluções Técnicas