PM10 Rivage – A substituta com louvor da PM1D

Durante a AES Expo 2015 o Gigplace foi convidado a conhecer a PM10 da Yamaha , a empresa optou em mostrar a nova console em sua nova sede , com pequenos grupos de convidados para poder responder melhor as dúvidas sobre este novo console. Com uma apresentação feita por Aldo Werner e Matheus Madeira foram mostrados os pontos fortes do produto que de cara parece ser destinado ao nicho de grandes eventos.

banner-rivage

Fica claro que a PM10, é a sucessora da PM1D , com todos seus recursos atualizados, uma interface gráfica moderna e muitos , mas muitos recursos novos. Visualmente a console é muito bonita e ergonomicamente bem resolvidas com o sistema composto de 3 modulos:

CS-R10 – A superfície de controle segue a tendência de mercado que une velocidade de operação e ergonomia , o operador tem o acesso e a confirmação visual de tudo que precisa de maneira fácil e rápida. Com 2 telas de 15′ Touch, 38 Faders , divididos em 2 bancos mais seção master ( 12 + 12 + +12 + 2 ), cada banco pode ser operado independentemente,  “É possível um operador alterar os parâmetros de um canal enquanto o outro altera os parâmetros de FX ou patch, por exemplo, pois as duas telas podem ser “linkadas” apenas com o banco de faders que realmente interessa. permitindo que 2 operadores mixem ao mesmo tempo.” , a superfície possui duas saídas de fone independentes ou seja o operador da direita pode ter o seu solo independente do da esquerda. Isso num grande evento pode ser muito útil. Para ficar ainda mais customizado a sua forma de operar a superfície possibilita:
um total de seis custom layers por bancos de faders. Como padrão todos os componentes do sistema RIVAGE tem fonte dupla redundande e “Hot Sweepable” ( ou seja podem ser trocadas sem desligar o equipamento ) e falando em desligar caso a superficie de controle pare as duas fontes o som não para já que o processamento é feito todo nos modulos R10 e Rpio 622 I/O.

DSP – R10 – O engine, é o núcleo de processamento , e podemos dizer que PODER de processamento não falta na Rivage , com 144 IN, 72 vias e 36 Matrizes , possibilidade de uso de até 384 slots de plugins ( o número máximo de plugins é dependente do tipo de plugins utilizados).

RPio 622 I/O – O rack de conversão do sistema Rivage possui frame para 6 baias de 16 canais cada , podendo ser configurado pela necessidade do sistema, as opções de réguas são:16 inputs,16 outputs e 16 In / 16 out AES EBU. Além de 02 slots do typo MY Card e 02 Slots HY Card ( TWINLANe e Dante ) .

Componentes do Sistema  - CLIQUE PARA AMPLIAR

Componentes do Sistema – CLIQUE PARA AMPLIAR

Operacionalmente , o workflow da console é muito bem resolvida, o operador tem acesso e confirmação visual de todos os parametros necessários, esta presente nesta console o conceito de CentraLogic, porém o conceito foi elevado ao estado de arte. Mini displays de LCD servem para indicar ao operador o que cada encoder está controlando naquele momento, e a maioria das operaçoes não necessitam mais que dois passos para o acesso pelo operador. Além da possibillidade de uso de código de cores por canais,criação de bancos de fader por cena, customização de encoders e functions keys para otimizar o seu modo de operar a console.

PCH-CS-R10_Front_detail

Detalhe do Painel Frontal – CLIQUE PRA AMPLIAR

Quanto a sonoridade parece que Yamaha conseguiu manter a sua característica que é a transparência sonora, porém dá ao usuário diversas ferramentas para que cada um imprima a sua personalidade sonora.
Esse conceito já parte do seu PRÉ , através do uso da tecnologia VCM ( Virtual Circuit Modeling ) foi implementado a opção SILK que emula os circuitos analogicos dos prés do Rupert Neve, variando entre RED “ com harmonicos brilhantes de altas” ao BLUE “ com harmonicos de graves sólidos” você pode optar por dosar entre uma caracteristica e outra ou deixar o pré neutro.

Seguindo a cadeia , a seção de equalização possui quatro estilos distintos que podem ser configurados por canal: “Precise na qual você tem o total controle dos pontos de EQ de forma quase cirurgica”, “Aggressive é um tipo de EQ mais musical no estilo British EQ”, “Smooth na qual a EQ é feita de forma suave e natural sem exageros” e a “Legacy na qual você terá a sonoridade característica das Yamaha nas séries PM1D e PM5D “
A Rivage possui um parametrico totais de 4 pontos nas entradas e de 08 pontos nas saídas.

Para aqueles que não vivem sem plugins, na Rivage eles fazem parte do console ou seja você encontrará os mesmos pugins em todas as Rivage, no pacote termos Compressores , Eqs e Efeitos para todos os gostos todos com emulação VCM dos seus circuitos originais. Alguns dele desenhados pelo Sr. Rupert Neve como o: Portico 5033 Eq e 5043 e os Comp, 773 EQ e 754 Comp modelos muito conhecidos nos anos 70 , e 810 Eq e 830 Comp modelos populares dos anos 80s.

Na area dos efeitos a parceria feita com a EVENTIDE trazem para a RIVAGE o VSS4HD e o Non Lin 2 da TC ELETRONIC e ainda temos a promessa de em breve a console ter uma emulação do H3000 Ultra Harmonizer da EVETIDE. Além dos plugins efeitos citados acima ainda temos toda biblioteca existentes nas linhas CL incluindo o pacote PREMIUM , num total de 45 plugins diferente que podem ser insertados até 8 instâncias por canal em 2 blocos , na Rivage podemos ter até 384 instancias de plugins este é o valor maximo definido pelo consumo de processamento das emulações o valor pode cair se usado muitos plugins de emulação complexa. Um detalhe que os usuários Yamaha já estão acostumados porém usuários de outras marcas não , TODOS plugins podem ser insertados ou removidos a qualquer momento sem que a console pare o áudio, outro detalhe importante o uso massivo de plugins não causa problemas de fase pois a console possui delay compensation.


 

A Visão de um técnico de monitor

Logo na primeira olhada , já dá pra se imaginar operando um grande evento com várias vias stereo um monte de bandas tocando ao mesmo tempo num palco enorme. Essa é realmente a visão de uso de uma PM10 Rivage. Claro que para isso serão dias e dias de ensaio, gravando as cenas cuidadosamente. Mas o Rivage nasceu preparada para coisas grandes como essa, a possibilidade de dupla operação é uma grande sacada o operador MASTER pode deixar o banco de fader da direita para que o operador do artista convidado faça a mix do seu artista enquanto ele cuida da banda de apoio, e o melhor o outro tecnico tem um CUE exclusivo para ele independente do teu. Usando a tela auxiliar ( a RIVAGE tem uma porta DVI extra ), você pode ter a lista de cenas que você cuidadosamente criou nos ensaios, e se você for chegado em tecnologia pode ter neste memo monitor a imagem do palco em PIP ou tela cheia. Problemas sempre acontecem , mas a console esta aí para te ajudar e não atrapalhar , um microfone pifou e você tem que substituir pelo STAND BY , bem basta um COPY / PASTE ops.. nada disso a RIVAGE possui A/B em todos canais basta você endereçar o pré BY para o canal do artista e ele nem vai notar que o mic foi trocado. Ops mais problemas o pessoal do Stage B está reclamando que o quarteto de cordas está alto para todos , putz abaixar as cordas uma a uma para 8 caras vou perder o balanço que já estava pronto ?!? Nada disso ainda bem que criei um DCA para as cordas basta abaixar ele, e a mix se mantém inalterada, muito útil o DCA também para AUXs. Como problema pouco é bobagem o baixista passou mal e outro vai entrar no lugar dele, e logo na banda base, 21 cenas para alterar o ganho, EQ e etc … que roubada dias de ensaio para isso agora , bem será que esse tal ISOLATE resolve ,bem pelo que me lembro o ALDO falou no treinamento que ele trava os parametros do canal através das cenas, era justo o que  eu precisava, vou fazer o mesmo com o mestre de cerimônias que chegou rouco quase sem voz e ele está nas 45 cenas já gravadas e eu ainda reclamando do pobre do baixista.
Bem o texto acima é pura ficção mas demonstra um pouco do que a RIVAGE pode fazer numa situação real, uma pena que esta ainda não seja a MESA que vamos encontrar no nosso dia a dia na estrada, porém ela já mostra o que nós iremos encontrar na sucessora da PM5D, tão esperada por todos. Creio que ano que vem finalmente ela seja lançada para alegria de todos os usuários da YAMAHA.

O Gigplace agradece a YAMAHA do Brasil para conhecer a RIVAGE
Saiba mais sobre a RIVAGE
http://www.yamahaproaudio.com/global/en/products/mixers/rivage_pm10/
Videos de Treinamento da Rivage – CLIQUE AQUI
PM10 Rivage – Especificações Técnicas – GIGPLACE

O Gigplace agradece as correções enviadas pelo especialista de produtos da Yamaha Matheus Madeira o texto foi atualizado no dia 01.07.15

Share

Filed Under: ArtigosReviews

Tags: , , , , , , , , , ,

Comments (1)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Negão operador says:

    Eu estava lá para conferir

Leave a Reply




If you want a picture to show with your comment, go get a Gravatar.

*