Joss Stone South America Tour 2015

A Tour foi um sonho mas…  , OPS acordei …
Para aqueles que não me conhecem sou o Eder Moura , a convite do Gigplace escrevi um diário da Tour South America que tive o prazer de operar o PA desta grande artista.

js_billboard_ontour2
Tudo começou com o convite para mixar um show em São Paulo em 2014, o Best of Blues Festival, ai em setembro de 2014 veio o convite para essa primeira parte da world tour começando em 2015, a ideia dela é tocar em todos os países do mundo com essa tour.
É uma equipe bem enxuta, composta por 1 tour manager, 1 backline tech, 1 monitor engineer, 1 FOH engineer e 1 lighting design, 4 músicos e ela.
Como não temos um production manager, toda parte de contado de equipamentos foi feita por nos mesmo, os técnicos.

A tour começou em Quito, no Teatro Sucre no dia 01/03, um teatro com mais de 125 anos de historia, um sistema KF730P e SB730P no fly, e meyer sound fazendo front e downfill, usei uma SC48 com clock externo, o detalhe nesse show era a posição da house, que ficava no segundo mezanino, numa sala minúscula, que ainda servia com área VIP da diretora do teatro, na passagem de som quase morri com falta de ar por causa da altitude, de tanto correr escadas pa ouvir o som na plateia…. mas sobrevivi e o primeiro foi bem legal apesar da sala.
Bora para Lima, estava empolgado para Lima, ar livre, SD8, PA Meyer Sound Leo…
O lugar do evento era um site histórico, uma base de uma pirâmide, um lugar muito bonito com uma vibe bem legal, o único problema era a poeira, um pó parecido com cimento, que a gente passava o dia limpando a mesa. O PA Leo soou muito bem, um timbre muito bom. Ali para mim foi o primeiro show valendo mesmo!!!
Partimos para o Chile, com direito ao 1 dia de folga, bora passear um pouco. O show no dia 06/03 no Teatro Caupolican, sistema D&B J series , Venue Profile de console, tudo bem montado, mas o teatro na verdade é um ginásio, uma sala com uma reverberação horrível… vamos la então, o palco no geral tem um nível alto de monitores mais a reverberação da sala ficou difícil, coloquei a voz dela no lugar e abaixei a banda, e assim foi a noite toda, conversando com ela depois do show ela falou que foi umas das piores salas que havia tocado e não tocaria mais nessa sala.
Dia seguinte Argentina, nesse show e nos do Brasil a banda teve a adição de 2 backs, sax, trompete e mais um backline tech.
Show day em 08/03 no Luna Park, nem precisa falar mais nada né, o nome por si só já diz tudo, sistema D&B J-series e B2 subs, Venue Profile de console, tudo muito bom, sala boa, hoje com um backvocals mais encorpado metais dando um destaque nas melodias, e ainda sendo transmitindo para a internet. Essa parte da transmissão foi engraçada, perguntei para o técnico de áudio da UM quem iria mixar para eles, ele me respondeu, você!!!! Tudo ao vivo, show ao vivo mix ao vivo, achei muito engraçado, perguntei se queria uma mandada separada da voz dela, para poder ter um controle melhor, ele diz : não não, só o seu L e R mesmo. Confesso que fiquei nervoso com esse broadcast. Apos a passagem de som fui ate a UM conversar com o técnico ver se estava td certo, se ele estava usando alguma compressão, ou alguma coisa no caminho do sinal, e para minha surpresa, a console era uma Soundcraft que eu desconheço o modelo, mas eles disseram que estava tudo muito bom. Chegando no hotel fui correndo achar o vídeo no you tube, para ouvir como ficou… e para minha surpresa estava muito bom !!!! nao resisti e compartilhei no Facebook (rs).
Muito feliz partimos para o Brasil, Sao Paulo, planos feitos para fugir e ir matar a saudades da família, em principal do Nicolas, mas o tiro saiu pela culatra, no dia que seria a folga, o escritório vendeu um show para uma boutique na rua Oscar Freire, ai la fomos fazer um acústico, o sistema foi trazido pela Torau com o atendimento mais que especial do Claudinho. Tudo muito pequeno, mas rolou na boa, SD8 nexo PA, nexo de monitores, nessa roubadinha acabei fazendo o monitor também por que era uma mesa só.

  • 01/03/13 QUITO, EQUADOR - TEATRO SUCRE

Dia seguinte 11/03 citibank hall, SP. Estava em casa né, amigos da Gabisom atendendo, house no chão, venue Profile, uma big ben da apooge fazendo o clock externo para a venue, PA meyer sound Milo, HP-700 de subs, tudo muito bom!! Já sabia que teria alguns conhecidos e amigos de profissão lá, mas não imaginava que seria tantos!!! Pensa em uma pessoa suando, pensou?? Multiplica por 5!!! (rs). Alguns dos melhores produtores e técnicos de som ali na house!!! Mas tudo correu bem, só uma pegadinha por causa do nervosismo de estar em SP, na hora do line check, coloquei o fone com os lados trocados e não percebi que os Overheads ficaram invertidos, mas deu um toque diferente na noite!!! (muitos risos).
Próxima parada, a capital do país, no NetLive, em Brasilia dia 13/03 fizemos o segundo show no Brasil, nesse eu estava também pela gabisom responsável pelo PA, sistema D&B J series com J subs, Q1 de front fill e Q10 de delay atrás da house, com o mesmo setup de Sao Paulo na house, no backline e no palco c os mesmo mics o dia foi bem legal, também tive convidados do áudio de Brasília prestigiano o show.
Ultimo show no Brasil, Recife, Chevrolet Hall dia 15/03, fechou as datas no Brasil, sendo um segundo sistema igual o de Brasilia pela Gabisom, e o backline da SoPalco, indo de avião para lá o dia também foi bem tranquilo, tirando o calor e o quanto aquele lugar está mau cuidado, uma pena!!!
Bora para para a ultima semana, Montevideo dia 18/03 no Gran Teatro Metro, lugar pequeno,um PA DAS Aero 40, com 4 caixas no fly e 2 caixas no stack, Subs de 21 da B&C, mt bem montado e alinhado, a mesa foi um D-show com side card já acoplado nela, quase que não coube ela na house, tirando o tanto que tive que atenuar as altas, ate que o PA falou direitinho.
De Montevideo para Assuncion, Show no Banco Central Theatre, dia 21/03, nesse teatro tínhamos Vertec 4888 stack, com subs SRX700 a mesa era uma PM5d , acho que aqui foi onde mais tive problemas com a volta de grave, o PA foi montado em cima do fosso da orquestra, o Sub logo na frente, o vazio do fosso, e a própria sala, embolava o grave de uma tal maneira, que estava incomodando a artista, o remédio foi da uma emagrecida na mix, para não ter problemas no palco, coisa que não prejudicou em muito o show, pois o contratante veio elogiar apos o show.
Ultimo da tour, Santa Cruz de La Sierra, Bolivia, dia 24/03 no Hard Rock Café, um lugar muito pequeno, mas tao pequeno que a house era do lado de fora no pátio, 4 DAS Aero 12 por lado, 2 de center, e subs HP650, uma SC48 no PA. Esse show foi todo em mono, pois os PA’s eram mais outfills do que PA. Do palco a house tinha uns 12 metros, ai as laterais tinha uns 20 metros para cada lado, um lugar muito estranho p se fazer show, mas la fizemos o nosso ultimo da Tour, todos bem felizes. Um resultado satisfatório!!
Nas mesas Venue, usadas nos shows eu usei Plugins da Waves, um C6 na voz dela, e SSL channels na bateria, no show de Buenos Aires usei um L2 para a mix que mandava para o brodcast, o mais curioso, é que só no Brasil tive problemas na mesa, pois a mesma tinha o famoso Waves PIRATA, que algumas pessoas que se dizem técnicos estão usando, uma tremenda vergonha!!!!!
No geral, todos os Shows foram bons, sem maiores problemas com sistemas mau montados, ou mau dimensionados, todos os sistemas de marcas conhecidas, nada feito na garagem, na maioria dos técnicos que me atenderam conheciam do sistema, alinhamento e gerenciamento, a banda e a artista saíram bem satisfeita com o resultado do trabalho realizado por mim.

Share

Filed Under: Noticias

Tags: , , , , , , ,

Leave a Reply




If you want a picture to show with your comment, go get a Gravatar.

*