Seu caché – Como calcular e cobrar

Este texto foi originalmente escrito em 2003 para o site MONITORLAND, mas o assunto continua atual e merece ser revisitado.Quantas vezes não nos deparamos com essa pergunta…. “ Quanto é o seu cachê ?” ,eu costumo dizer depende… Realmente depende de vários fatores

Bem , é sempre bom lembrar que cada caso é um caso, e assim sendo cada um tem suas peculiaridades.

Nos estados em que existe uma tabela (piso mínimo) citando como exemplo Rio e SP, as coisas ficam mais fáceis de se negociar mesmo, assim existem mercenários em todos os mercados. Convém lembrar que a composição de preço do cachê de um profissional tem que levar em conta diversos itens.

  • O primeiro é mais importante para composição do custo CACHÉ são os seus custos fixos. São eles agua , luz, aluguel ou seja todos aqueles mensais e não esqueça de incluir os custos sazonais impostos , remédios etc…
  • Custos para o seu aperfeiçoamento profissional (livros , revistas, congressos etc…)
  • Aposentadoria ( Isso mesmo você não pretende passar o resto da vida na estrada ou no estúdio, certo ?)
  • Despesas com saúde ( Quem vive sem um plano de saúde em nosso país ? )
  • Fundo de Reserva ( Para os dias sem show, férias e etc…. )

E lembre-se: faça sempre um pé de meia para os dias difíceis.

Todos os itens acima devem ser lembrados, na hora de você acertar o valor do seu cachê, se você pensar só no momento, o valor que você pediu pode até parecer alto, mas pensando a longo prazo, você verá que o valor cobrado é compatível com as despesas normais de um trabalhador, que tem alguns desses custos financiados pelo governo.
Outro ponto importante , que muitas vezes não e considerado na formação de preço de um serviço , QUANTO TEMPO será empregado para executar o serviço. Muitas vezes se acerta o valor referente a um show , supondo que para este show seja necessário um dia de sua agenda, mas .. vai ter três ensaios com orquestra e convidados ou 1 dia e meio para ir e 1 dia em meio para volta ou seja 4 dias para um só evento ou seja o seu valor acertado pensando em somente um dia no fim das contas passou a ser o valor acertado dividido por 4 dias. Se você acertasse um valor de diária receberia 4 diárias ou invés de somente um caché diluído. Ter informações completas sobre o projeto ajuda a compor um valor de caché mais real.

Seu valor Profissional

É o resumo do seu conhecimento adquirido com o passar do tempo, essa experiência irá diferenciar o seu trabalho em relação a outros profissionais. Outros fatores pesam também: liderança, habilidade de lidar com momentos de crise, Facilidade de relacionamento. Tudo isto faz parte do seu perfil profissional.

Ética Profissional

Temos também que lembrar da ética profissional. Temos que pensar como uma classe e não como indivíduos. A partir do momento em que aceitamos a trabalhar abaixo de um patamar mínimo, você estará prejudicando seus colegas de classe , pois se você passar a trabalhar abaixo da média de mercado, o próprio mercado fará este valor mínimo de cachê cair mais e mais. Mas como disse antes cada caso é um caso. E cada cliente tem suas peculiaridades Às vezes é preferível que você execute um trabalho, porque você acredita que ele vá te render muito mais num futuro próximo por “CORTESIA” Recebendo somente uma ajuda de custo , mas deixando claro o seu valor real de cachê, do que deixar de faze-lo porque seu cliente ainda não pode arcar com o seu valor de cachê.

Negociação

Na hora de negociar o seu cachê, deixe bem claro o valor a ser cobrado, a forma e data de pagamento e, se possível por escrito evitando assim confusões e mal entendidos. Não é costume termos notas contratuais em shows e eventos mas a simples trocas de emails já deixa documentado o acerto feito. Hoje em dia e muito interessante constituir empresa, ser PESSOA JURÍDICA lhe dá algumas vantagens junto a bancos e a fornecedores Já e possível emitir nota pelo seus serviços a um custo fiscal mais baixo, algumas empresas e produtoras exigem emissão de notas para pagamentos de cachês, procure informações junto a um contador sobre a abertura de uma firma individual ou mesmo de como ingressar no Plano de Empreendedor Individual (lembre-se que ao constituir uma firma ou micro-empresa você terá os impostos sobre o seu faturamento).

Voltando a negociação, no seu primeiro contato, o produtor vai querer que você baixe o seu pedido inicial, mas pense bem, essa é a função do cara, negociar o melhor preço para o patrão dele, no caso o artista e ou produtora, resta você ceder ou não. Se você ceder a um preço que lhe é imposto, significará para quem te contrata que você especula, pra tentar ganhar mais. E existe uma grande diferença entre ceder e negociar, ao negociar você pedirá pra ser informado das suas funções e parâmetros que lhe serão cobrados ao executar seu trabalho e você poderá explicar o porque do seu preço.

Nada é Fácil

Fique atento a propostas ditas como simples e fáceis elas não costumam ser aquilo que parecem. Muitos são os casos de voz e violão serem mais complexos do que um show com banda inteira a titulo de exemplo, quanto você cobraria pra fazer uma banda de pop com um quarteto de cordas ? E para fazer João Gilberto de banquinho e violão ? Ambos trabalhos tem suas peculiaridades e dificuldades

Finalmente

O próprio mercado dita suas regras, se alguém entra em contato pra sondar a possibilidade de te contratar, esta pessoa já estará sabendo o quanto você normalmente cobra e se tentarem fazer uma proposta menor, ele estará tentando te convencer a ganhar menos, se você tiver consciência do seu valor profissional e dos valores de mercado você não ira aceitar. Caso achem alguém que aceite a trabalhar por menos, é triste mas em pouco tempo o cara estará fora do mercado, pois essa pessoa vai ganhar cada vez menos e chegará a um ponto que estará pagando pra trabalhar e sem a mínima possibilidade de se reciclar além de começar a ficar mal visto entre seus próprios companheiros de profissão.

Seguir a ética profissional é o melhor meio de negociar e manter um patamar de cachê digno para os profissionais de áudio.

Lazzaro, Técnico de Monitor e webmaster desta home page. revisado em 10/04/2003 atualizado em 11/12/2011

Share

Filed Under: ArtigosCarreira

Tags: , , , , , , , , , , , ,

Comments (5)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Fernando Lopes says:

    Remuneração do trabalho é função do quanto seu “trabalho” acrescenta valor num produto ou serviço. A parte abaixo não tem ligação direta com o mercado de trabalho, ainda mais num sistema capitalista feroz como o nosso. A parte abaixo não reflete em nada no valor de seu remuneração, ou quem gasta mais deveria receber mais?
    O correto é quem trabalha melhor e de forma mais eficiente recebe uma remuneração otmizada.
    Sds

    “O primeiro é mais importante para composição do custo CACHÉ são os seus custos fixos. São eles agua , luz, aluguel ou seja todos aqueles mensais e não esqueça de incluir os custos sazonais impostos , remédios etc…”

  2. Lazzaro says:

    Caro Fernando, sou forçado a discordar os custos básicos fazem sim parte da composição do cálculo do caché de um free lancer. Num caso hipotético os custos básicos do profissional José Silva fecham em R$ 1200,00 mensais , e ele recebe em média R$ 300,00 por evento ele terá que conseguir por mês 04 eventos para cobrir seus custos básicos. Mas se o Zé tem a brilhante ideia de reduzir o caché pela metade para trabalhar mais , ele precisará do dobro de eventos para cobrir os custos básicos. E lembre que só cobriu os custos básicos, os custos de reciclagem e especializações estão fora do cáculo acima, pra comprar revistas para se informar e ir para treinamentos mesmo que sejam grátis ele precisará fazer mais um show ou dois.
    Portanto mesmo o sistema sendo capitalista , voce precisa estar bem para trabalhar e ganhar o suficiente para se sustentar , estudar e ainda pensar no futuro

  3. Fernando Lopes says:

    Bom dia prezado Lazzaro.
    Não discordo de seus argumentos, mas esse primeiro fator é muito mais ligado a uma administração de finanças pessoais do que administração de carreira profissional. Os outros quatro fatores eu vejo total coerência e concordo plenamente.
    Saudações

  4. Fábio Sá says:

    Ótimo texto realmente abre, e muito, a mente de técnicos que estão querendo entrar no mercado e também de técnico que já está há muito tempo.
    Queria que o site se aprofundasse no assunto sobre “Empreendedor individual”, não só para instruir, mas também incentivar os técnicos.

Leave a Reply




If you want a picture to show with your comment, go get a Gravatar.

*